Páginas

quinta-feira, 22 de abril de 2010

COMO SE ESCREVE ?...

É bom usar este video para reunião  .
COMO SE ESCREVE ?...

Quando o João tinha apenas cinco anos, a professora do jardim de infância, pediu aos alunos que fizessem um desenho de alguma coisa que eles amassem. João desenhou a sua família. Depois, desenhou um grande círculo, com um lápis vermelho, ao redor das figuras.

Querendo escrever uma palavra por cima do círculo, ele saiu da sua carteira, foi até à mesa da professora e perguntou-lhe: Professora, como é que se escreve...? Ela não o deixou terminar a pergunta, mandou-o voltar para o seu lugar e não se atrever a interromper mais a aula.

João dobrou o papel e guardou-o no bolso. Quando regressou a casa, lembrou-se do desenho e tirou-o do bolso. Alisou-o bem sobre a mesa da cozinha, foi à mochila, pegou num lápis e olhou para o enorme círculo vermelho.

A sua mãe preparava o jantar, indo e vindo do fogão para a bancada e para a mesa. Ele queria terminar o desenho antes de o mostrar a ela e perguntou-lhe: - Mãe, como é que se escreve...? João, não vês que estou ocupada? Vai brincar lá para fora. E não batas com a porta. Ele dobrou o desenho e guardou-o no bolso.

Nessa noite, ele tirou outra vez o desenho do bolso. Olhou para o enorme círculo vermelho, foi até à cozinha e pegou no lápis. Ele queria acabar o desenho antes de o mostrar ao pai. Alisou bem as dobras, colocou o desenho no chão da sala, perto do sofá onde o pai costumava sentar-se e perguntou-lhe: - Pai, como é que se escreve...?

- João, não vês que estou a ler o jornal e que não gosto de ser interrompido? Vai brincar lá para fora e não batas com a porta. O garoto dobrou o desenho e guardou-o no bolso. No dia seguinte, quando a sua mãe separava a roupa para lavar, encontrou no bolso das calças do filho enrolados num papel, uma pedrinha, um elástico e dois cromos. Eram os tesouros que ele tinha guardado enquanto brincara fora de casa. Ela nem abriu o papel e atirou tudo para o lixo.

Os anos passaram ...

Quando João tinha 28 anos, a sua filha de cinco anos, Ana fez um desenho. Era o desenho da sua família. O pai sorriu quando ela apontou uma figura alta, de forma indefinida e disse: - Este és tu, pai! A garota também se riu. O pai olhou para o enorme círculo vermelho feito por ela, ao redor das figuras e lentamente, passou os dedos sobre o círculo.

Ana desceu rapidamente do colo do pai e disse-lhe: -Eu já venho! Quando voltou, trazia um lápis na mão. Voltou a sentar-se nos joelhos do pai, pôs a ponta do lápis perto do topo do grande círculo vermelho e perguntou:

- Pai, como é que se escreve AMOR ? Ele abraçou a filha, pegou-lhe na mãozita e conduziu-a devagar, ajudando-a a escrever as letras, enquanto lhe dizia: AMOR, querida, AMOR escreve-se com as letras.
                                                    (IDEIA DE DINÂMICA)
 QUANDO CHEGAR NESSE PARAGRAFO DISTRIBUA AS LETRAS PARA OS PARTICIPANTES DA REUNIÃO  MISTURADAS  E-T-O-P-M
E PEDE PARA ESCREVER AMOR COM ESSAS LETRAS  , VER SE ELES CONSEGUE DESCUBRIR QUE  AMOR SE ESCREVE COM TEMPO .....



(TEMPO).

Conjugue o verbo Amar, a toda a hora. Use o seu tempo para amar. Crie um tempo extra para amar, não esquecendo que para os seus filhos, em especial, o que importa é ter quem os ouça e opine, quem participe e vibre, quem conheça e incentive. Não espere que o seu filho descubra sozinho como se soletra AMOR, FAMÍLIA, CARINHO ...

Por fim, lembre-se: Se você não tiver tempo para amar, invente. Afinal, o ser humano é um poço de criatividade e... o tempo... ... bom, o tempo é apenas uma questão de escolha. Autor Desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário